10 de mai de 2015

Mãe? Senta aqui? Me ouve um minuto!

 Esse é um texto dedicado a todas as mães do mundo, aquelas que estão com você, aquelas que já não estão mais, aos pais que fazem papeis de mães e aquelas que logo serão mães.
(Antes de ler esse texto, esculte essa musica - você vai se emocionar mais)

  Ei, psiu? Mãe? Para um minuto, sim, eu sei que parar por um minuto não dá, mas poxa, eu tô pedindo. Para só um pouco? Senta aqui do meu lado e vamos conversar, alguém vai cuidar do resto, confie em mim.

 Sei que não importa os anos que passem, você vai sempre pensar que é dona não só da sua vida, mas da minha e dos que a rodeiam, também sei que é besteira eu te dizer que não sou mais aquela criança pois acredito que nunca vai entrar na sua cabeça que você não esta mais no comando.

 Pois é mãe, a verdade é que um dia eu vi que não era mais aquela criança, quando isso? Quando eu engoli o choro, apenas para não te ver preocupada, aquele dia em que você me perguntava se estava tudo bem, e eu respondia que estava, mas no fundo, nada estava bem. Porque? Por que eu sabia que as coisas iam se arrumar, então pra que te preocupar?

 Depois de muito tempo, eu parei de depender daquelas suas caronas nas matinês, das ajudas pra tomar banho, daquelas mamadeiras quentinhas e daquelas vezes que não conseguia dormir e você vinha do meu lado e ficava acordada comigo, até eu pegar no sono. Mas VOCÊ jamais parou de se preocupar, acho que por que no fundo sabe que hoje meu voo é mais alto, e minha chance de cair também.

 Você se lembra daquelas diversas vezes que eu gritava: "EU QUERO MINHA MÃE"?, pois é, a verdade é que eu não queria você, eu precisava de você! Eu precisava do seu beijo na testa, do seu abraço, do seu cafuné, eu precisava de você! Sabe por que? Porque sem você do meu lado, eu não tinha chão. 

 Mas hoje eu não preciso, mãe. Você já me ensinou a amarrar meus sapatos, quando eu cair eu me levantar sempre, limpar as minhas lagrimas e seguir em frente, acho que além de ensinar você foi o exemplo vivo disso né?

 Poxa mãe, o mundo gira sem que você empurre-o. Chegamos num ponto em que eu consigo me virar sem que você perca o sono, pois hoje sou eu que perco o sono quando te vejo sem dormir. Sabe aquele famoso "EU QUERO MINHA MÃE"? Então, eu te quero agora! Mas diferente de antes, hoje eu quero você bem tranquila, ouvindo minhas diversas histórias, dando muitas risadas e até opinando nas minhas atitudes. Não de peito apertado, não falando que não vou encontrar meu caminho, pois eu vou! Afinal, você me deu o melhor mapa.

 Meu presente esse ano é apenas um pedido, essa noite, deite no travesseiro, e descanse. Não se preocupe comigo, apenas saiba que esta tudo bem, mesmo quando a vida estiver difícil, não fique com os olhos arregalados procurando saída, isso é comigo.

 Você construiu o melhor de você em mim, por isso confie, confia na força que você depositou em mim. Você deu o que tinha e o que não tinha apenas pra me ver feliz, então é isso que te peço, confie em mim.

 Ore por mim, peça por mim, se orgulhe de mim. Me deixe ser de novo a luz dos seus olhos, como fui na época que era um bebê sorridente. Eu sei que é impossível. Mas deixe-me hoje ser eu quem te abraça e te diz baixinho: está tudo certo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...